Bahia, 16 de outubro de 2018 às 04:51 - Escolha o idioma: pt Português

DESCOBRINDO A RÚSSIA NA COPA DO MUNDO


Por: - Crédito da Foto:


 

 

A Rússia impressiona, em todos os sentidos. E o torcedor brasileiro que pretende acompanhar a Copa do Mundo de perto este ano vai poder comprovar isso. As cidades visitadas pelo Estado são de tirar o fôlego, como Moscou e São Petersburgo. Na Copa das Confederações, outras duas cidades-sede do país foram apresentadas ao mundo: Kazan e Sochi.. Nessa época do ano, no verão russo, as noites são chamadas de ‘noites brancas’. Isso porque escurece tarde, lá pelas 22:00h, e o sol aparece nas primeiras horas da madrugada.

Além das estruturas dos estádios já prontos e que foram utilizados nas Confederações, as quatro cidades oferecem ao visitante boas opções de passeios, de praias a lugares históricos. O metrô de Moscou vai ser um capítulo à parte no Mundial. Ele abrange toda a cidade, do Kremlin a lugares mais distantes. Suas linhas são ordenadas por cores. Há uma Moscou ao ar livre, com seus monumentos e prédios estatais imponentes, alguns beirando o Rio Moscou, e outra debaixo da terra, subterrânea, com as lindas e históricas estações de metrô e shoppings que afundam na terra. Há um desses na Praça Vermelha. Mas nem tudo são flores na Rússia. A língua é um problema. Poucos falam inglês ou qualquer outro idioma.

Em Moscou, o Spartk Arena é imponente, cresce com a aproximação do torcedor. Tem ótima área externa, mais que suficiente para o esquenta. No Brasil, talvez somente o Mané Garrincha, em Brasília, tenha espaço parecido. Há uma estação de metrô dentro do complexo, a metros de distância do estádio, o que permite a chegada do torcedor facilmente, uma vez que as avenidas de acesso, fechadas em dias de jogos das Confederações, não estarão abertas durante as partidas da Copa. Sua inauguração foi em setembro de 2014, meses depois da Copa no Brasil. Receberá cinco jogos. Acomoda 43.298 torcedores. A visão do campo é privilegiada de qualquer setor. Lanchonetes abastecem o público. Os banheiros são grandes, mas lotam no intervalo. Suas cadeiras vermelhas são bonitas. Moscou tem ainda outro estádio. É a única cidade a ter duas arenas. Trata-se do Luzhniki, com capacidade para 81 mil torcedores. É o maior de todos. Ele não está pronto. Será palco da abertura e da final e terá outros cinco jogos.

Moscou é a principal cidade da Rússia e o brasileiro vai gostar do seu ritmo. Há bons lugares para conhecer. Moscou é cheia de histórias e pode-se chegar a qualquer lugar nela usando seu metrô. O Kremlin, a Praça Vermelha e a Catedral de São Basílio ocupam o visitante por horas, talvez dias. São lugares para bater perna, tirar fotos e comprar presentinhos. Ficam lotados. Num dia de sorte é possível encontrar o presidente Putin em cerimônia no local. Moscou é a maior cidade da Rússia. Uma informação sobre a Catedral é que ela foi construída a mando de Ivan, o Terrível. É bonita por fora. É possível conhecê-la também por dentro, ao custo de 250 rubros (R$ 14). É impossível conhecer Moscou em um só dia. Pertinho da Praça Vermelha há o Teatro Bolshoi, reverenciado no mundo todo e aberto ao público desde 1.780.O trânsito da cidade, no entanto, é caótico. Pode melhorar se tiver feriado nos dias dos jogos. O metrô é o melhor meio de locomoção, além de ter belíssimas e históricas estações. Conhecer o subterrâneo de Moscou é tão excitante quanto andar ao ar livre. O Rio Moscou é limpo, navegável e bom passeio. Em suas margens é possível se deparar com prédios históricos e gigantescos, a maioria abrigando departamentos do governo. Os passeios não têm preços abusivos. O bairro Kitay-Gorot (China Town) é indicado para curtir a noite e fins de tarde. Fica perto da Praça Vermelha.

Segure o fôlego ao pisar em São Petersburgo. A cidade, a segunda maior da Rússia, é encantadora, limpa, bonita e cheia de monumentos que nada se parecem com o que temos no Brasil. É um lugar onde o novo e o velho convivem em harmonia, e encantam na mesma proporção. Há pontes,

palácios, rios, prédios, igrejas… muitas destas obras foram erguidas a mando do czar russo Pedro, o Grande. Esta velha capital do Império Russo foi fundada em 1.703. Já foi chamada de Petrogrado e Leningrado. Passeios de barcos são obrigatórios. Os mais íntimos a chamam de San Peter. Há ruas maravilhosas para conhecer, fazer compras ou simplesmente andar sob o sol. Não deixe de visitar a Praça do Palácio de Inverno e coma um estrogonofe de carne. Não deixe fora de sua lista, entre um jogo e outro da Copa, uma passada pela Catedral de São Isaac e pelo Museu Hermitage.