Bahia, 20 de maio de 2019 às 07:42 - Escolha o idioma: pt Português

Falta de médicos afeta mais de 20 postos de saúde em Feira de Santana


Por: - Crédito da Foto:


 

A secretária Denise Mascarenhas destacou que o município está se empenhando para resolver o problema.

Desde o início desta semana o Acorda Cidade recebeu diversas reclamações sobre a falta de médicos em Postos de Saúde da Família (PFSs) de Feira de Santana. Somente nesta quinta-feira (2), foram cerca de 20 unidades de saúde com relatos de falta de médicos nas seguintes localidades: Mangabeira, Pé de Serra, Gabriela II, Capuchinhos (Posto do Ecassa), Queimadinha, George Américo (unidade 3 e 4), Povoado de Galhardo em Ipuaçu, Panorana II, Asa Branca, Parque Ipê, Matinha, Nova Esperança, Liberdade 1 e 2, Humildes, Viveiros, Subaé, Rua Nova, Serraria Brasil, Feira IX e Campo Limpo II.

No bairro Tomba, por exemplo, a moradora Cristina afirma que o posto Feira VII – 01 não tem médico desde o mês de março. Segundo ela, os demais postos das adjacências, como o do Liberdade e do Fraternidade também estão sem médico. Ana Maria moradora de um condomínio no bairro Asa Branca informou que o posto da localidade está sem médico há mais de um mês. No Viveiros, um morador afirmou que está necessitando pegar a recisão para fazer uns exames e que está pensando em ir a um médico particular, pois não vai ter a quem mostrar no posto médico do conjunto. No posto da Rua Nova, um ouvinte informa que já são cerca de seis meses sem médico clínico.

Ao Acorda Cidade, a secretária de saúde Denise Mascarenhas, esclareceu que as unidades Serraria Brasil e Ecassa não são Postos de Saúde da Família (PFSs) e sim Unidades Básicas da Saúde (UBSs), que possuem três especialistas: pediatra, clínico e ginecologista. Nessas unidades, conforme afirmou, está faltando apenas um dos três especialistas. Já com relação aos PFSs, ela afirma que a falta de médico é uma realidade não só em Feira de Santana, mas em toda Bahia.

“Tem municípios que estão todos os dias atrás de médicos para PFSs. A gente observa que de dezembro a abril, é um período de residência médica, então só em Feira perdemos 22 médicos. Outra coisa, 14 médicos passaram no Programa Mais Médicos em outros municípios, então a gente perdeu esses profissionais. São problemas que surgem, já notificamos a empresa terceirizada que gere esse setor, já encaminhamos para que a cada dia possa resolver. Hoje ficaram de me apresentar 16 profissionais. A gestão está cobrando, mas o problema não é só em Feira”, afirmou.

De acordo com Denise Mascarenhas, Feira de Santana possui 115 PFSs. Essas unidades possuem somente tem um médico, que é generalista. Desses postos, segundo ela, cerca de 22 estão apresentando falta de profissionais. Enquanto as UBSs, aquelas que possuem três médicos especialistas, são 12 unidades na cidade. Denise afirmou que nessas, não existe falta de médico e sim de apenas um dos especialistas.

A secretária de saúde afirmou ainda que a falta de médicos nos postos de saúde da cidade não tem a ver a saída dos médicos cubanos, que integravam o Programa Mais Médicos, no fim do ano passado.

“Tínhamos 14 médicos desse programa e esses profissionais foram repostos, então não tem a ver com a saída dos médicos cubanos. Onde está faltando profissionais não é do Programa Mais Médicos”, afirmou.

A secretária Denise Mascarenhas destacou que o município está se empenhando para resolver a falta de médicos e disse acreditar que o Ministério da Saúde vai ter novas políticas públicas para que possa ajudar os municípios nesse controle.