Bahia, 20 de maio de 2019 às 07:43 - Escolha o idioma: pt Português

Um feirense digno de Oscar 


Por: - Crédito da Foto:


 

Esse é Tiago Rocha (foto). Criado na periferia de Feira de Santana e dono de um sonho que parecia impossível há uns anos atrás. Para realizar tudo que planejava desde muito cedo, precisava aprender inglês. Como faria isso, se não tinha dinheiro? Catar livros no lixo dos cursos de línguas da cidade era uma opção. E assim o fez. Aprendeu sozinho estudando em casa.  Sabia o tal do inglês, mas ainda faltava muito para realizar o sonho. Estudar nos EUA era parte dele. Como conseguiria dinheiro, se era filho de pedreiro e de doméstica?

Nada parecia ser obstáculo para ele. Se destacou e conseguiu uma bolsa de estudos em Nova Iorque, entretanto a bolsa não era integral e ele precisava de cerca de R$ 28 mil para cobrir os custos.  Apelou para imprensa, fez vaquinha e recebeu doações. Apesar de aprovado em todos os processos seletivos, teria que desistir. Só havia arrecadado R$ 6 mil até o último dia do prazo para o pagamento.  Mas, o filme da sua vida já estava escrito. Um e-mail trouxe a boa notícia: Uma pessoa tinha visto a história dele na internet e pagou o curso. O “anjo” de Tiago era um americano que havia morado em Feira de Santana, e teve sua casa construída pelo pai do feirense.

Ele conhecia a aspiração do filho do pedreiro desde sempre. O menino do Santo Antonio dos Prazeres realizou o sonho e virou cineasta. E agora retribui criando, incentivando e principalmente inspirando a cena baiana com sua resiliência e talento. Dia 28 de março estreia mais um sonho do Tiago, o filme “Porque Eu Te Amei“.

Será a primeira produção local em cartaz no cinema nos últimos anos na cidade. Todos os ingressos de todas as sessões já estão esgotados. É isso. O primeiro programa que ele esteve contanto essa história foi o Café das 6. Depois da participação no programa, ele conseguiu apoio financeiro para realizar o filme e eu só queria compartilhar essa história inspiradora com vocês que, de forma clichê, digo que é digna de um belo filme.

Por Rafael Velame